Skip to content

Social Selling

Por que o Social Selling precisa “ter um rosto”?

17 Março 2022 por Bornlogic

Há aproximadamente 26 anos, surgia a Six Degree, que foi considerada a primeira rede social do mundo. De lá pra cá, surgiram muitas outras — e conseguimos entender, nesse tempo, que o Facebook, Instagram, LinkedIn, TikTok e todas as demais redes sociais são espaços significativos para conectar marcas e consumidores.

Não somos só eu e você: o brasileiro, no geral, usa bastante a internet.

De acordo com Digital 2021 April Global Statshot Report — publicado pela Hootsuite em parceria com a We Are Social — o Brasil está hoje entre os países que mais utilizam as redes sociais, são em média 3 horas e 42 minutos todos os dias. Esses dados são de janeiro deste ano de 2021 — e já refletem a intensificação do uso de espaços digitais, por causa da pandemia.

1_6rfNc0yqFxwY-0W2y_SePgFonte: Hootsuite — para mais detalhes acesse o estudo na íntegra.

Não precisa ir longe para encontrar um bom exemplo: se precisamos de um carro, vamos para a internet fazer a primeira pesquisa sobre aquele que melhor se adequa à nossa realidade — e depois vamos à uma loja.

Já se buscamos uma pós-graduação, pesquisamos na internet a melhor instituição para estudar, as opiniões dos ex-alunos, a titulação que vamos obter — e só depois de entender todos esses pontos é que vamos até a instituição pedir mais informações sobre o curso pretendido (ou chamamos o executivo pelo WhatsApp, se formos pensar apenas nos últimos meses).

Seu consumidor faz exatamente a mesma coisa.

Por isso, é bastante importante que sua marca esteja na internet. E mais: é fundamental que sua estratégia seja eficiente para construir relacionamentos duradouros com seu público-alvo. É aqui que soluções como as estratégias de social selling passam a ser decisivas para fechar negócio.

Mas o que é social selling?

Social Selling pode ser definido como o uso das redes sociais para construir relacionamento com o público buscando prospectá-lo para uma venda. Claro, buscando evidenciar o quanto você atende uma necessidade real do seu consumidor.

Você pode fazer isso selecionando um público-alvo de 26 a 36 anos que estão próximas à sua empresa para divulgar aquela promoção de pós-graduação que acabou de ser lançada. Ou então, selecionar um grupo com características específicas para receber o anúncio daquele carro popular que está sendo vendido para perfis semelhantes.

Os 5 passos do Social Selling bem feito

Essas são apenas algumas das possibilidades que o social selling oferece. Mas claro, para alcançar bons resultados, é preciso ter estratégias eficientes. Compilei 5 pontos fundamentais para determinar uma ação efetiva. Eles são:

  1. Foco no consumidor: é necessário prestar atenção naquilo que o cliente precisa, não forçar uma venda para quem não quer comprar. O foco sempre deve ser o seu cliente e as necessidades dele.
  2. Proximidade com o consumidor: é preciso gerar identificação no consumidor para conseguir abertura com ele. Adotar uma comunicação humanizada é fundamental para cativá-lo.
  3. Confiança do consumidor no vendedor e na marca: quando alguém resolve o seu problema, essa pessoa se torna seu amigo. E você passa a confiar nessa pessoa.
  4. Personalização da experiência de compra: para que haja a geração de demanda, é fundamental fazer o consumidor se identificar com a oferta. Isso só será possível se a experiência estiver direcionada ao contexto dele.
  5. Contexto para o consumidor: uma comunicação institucional, produzida em grandes centros como São Paulo ou Rio não tem aderência em outras regiões como sul ou nordeste. Dê contexto ao seu consumidor, com uma comunicação local.

Como você viu, proximidade é algo fundamental para quem quer atender uma necessidade real e conquistar a confiança de um consumidor. É justamente por entregar esse combo que as estratégias de social selling fazem tanto sentido — porque personaliza a experiência e “dá um rosto” para a sua venda.

No relacionamento pelas redes sociais, vendedor e consumidor são dois indivíduos que trocam experiências para resolver um problema. Aqui, a interação humana, com comunicação local, personalizada e contextualizada gera uma infinita conexão.

Já chegou o momento de refletir se a sua marca atende às necessidades de forma personalizada e com calor humano. Você está pronto para essa transformação? 

Espalhe a notícia