Skip to content

Varejo

A tecnologia no varejo nunca esteve tão em alta

17 Março 2022 por Bornlogic

O State of Retail Tech Report é um dos estudos mais interessantes que conheço. Ele é elaborado trimestralmente pela CB Insights, empresa que desenvolveu uma plataforma de insights de tecnologia que vem ajudando a alavancar o crescimento de muitas companhias. Por isso, quando se trata de inovação, eles sabem o que falam. E quando falam de inovação focada no varejo, como é o caso do estudo, é bom prestarmos toda a nossa atenção.

No relatório do primeiro trimestre deste ano, quero destacar aqui dois pontos principais. O primeiro é o investimento em tecnologia no setor do varejo, que, nos EUA, triplicou em relação a 2020 e atingiu o maior nível trimestral em cinco anos. O investimento saltou para 28,9 bilhões de dólares, um aumento de 60% em relação ao trimestre anterior. O segundo ponto se relaciona às lojas físicas: empresas varejistas irão priorizar a tecnologia para aumentar a eficiência. Prova disso é que os investimentos em inovação dentro das lojas dobraram no primeiro trimestre de 2021, chegando a 2,2 bilhões de dólares.

Um mundo pós-pandêmico

Ao menos nos Estados Unidos, tudo indica que investidores em tecnologia no varejo já estão mirando em um mundo pós-pandêmico. Porque os recursos estão fluindo para iniciativas omnichannel com o objetivo de melhorar a experiência de lojas físicas e de conectar estoques em diferentes plataformas. De acordo com o estudo da CB Insights, marcas de ponta do setor estão recorrendo à inovação para digitalizar as lojas físicas, para criar experiências online mais personalizadas e com engajamento, e para acelerar serviços.

O relatório ainda indica que, considerando que muitas empresas já têm os fundamentos para operar em e-commerce, elas agora estão dando um passo além: passaram a focar em ferramentas para gerenciar conteúdos online e alcançar, com mais eficiência, os consumidores em plataformas digitais. Isso revela que o setor está dedicando esforços à jornada digital do cliente, um ponto que sempre defendo por aqui. Um exemplo disso são as mídias sociais desenvolvidas pelas empresas para detectar os comportamentos de consumidores em diferentes canais. A iniciativa vem se tornando comum nos EUA: marcas como Walmart e Best Buy já têm suas próprias redes.

Lojas físicas: os clientes vêm aí

Já o investimento em inovação nas lojas físicas também indicou que as empresas estão se preparando para a volta dos consumidores. Se, no primeiro trimestre de 2020, esse valor atingiu o nível mais baixo desde 2018 (475 milhões de dólares), nos três primeiros meses de 2021 chegou ao recorde de 2,2 bilhões de dólares.

O relatório traz ainda ótimos exemplos de como o investimento tem se convertido em soluções para integrar lojas físicas e e-commerce. Um deles são os “carrinhos inteligentes de supermercado” como o desenvolvido pela Veeve, que trazem uma tela touchscreen com recomendações e cupons de desconto, entre outras funcionalidades. Outro exemplo é o aplicativo SuperSmart, que permite aos consumidores escanear os produtos que colocam no carrinho e validar e pagar as compras também via scan, sem contato com os caixas.

Tecnologia para acelerar o omnichannel

Não há como negar que os últimos anos representou um salto gigantesco em investimento na transformação digital das empresas. Agora, à medida que os consumidores voltam às ruas, o investimento tecnológico aponta com força total para fortalecer a jornada omnichannel no varejo.

A loja física, que ficou em segundo plano durante a pandemia, volta a ser personagem importante e passa por um processo de digitalização e conexão com esse novo perfil de cliente que está cada vez mais online.

O consumidor já vive em um mundo omnichannel. E a tecnologia está aí para ajudar sua marca a abraçar essa tendência. Agora o próximo passo é com você.

Espalhe a notícia